Agência Irenne de Comunicação e Educação para a Cidadania e Igualdade de Género

A Agência Irenne é um projeto de investigação-ação que focaliza as representações de género na imprensa portuguesa, com o objetivo de compreendê-las criticamente e de transformá-las tendo em conta a cidadania e a igualdade de género, por meio de ações de Educomunicação.

O Observatório

No Observatório coletamos e analisamos em profundidade notícias e outros tipos de textos jornalísticos dos quatro jornais diários de maior circulação em Portugal, optando por uma abordagem primordialmente qualitativa articulada a aspetos quantitativos sempre que isso for necessário. Os resultados dos nossos estudos serão apresentados em três relatórios parciais quadrimestrais e um relatório anual.
O Observatório conta com uma equipa de voluntários altamente qualificados em investigação científica no campo dos estudos de género que atua em parceria com o Núcleo de Estudos Género em Discussão, do Programa Doutoral em Estudos Culturais das Universidades de Aveiro e do Minho.

Equipa

Direção:
Larissa Latif

Investigadores:
Alexandre Almeida
Giane Vargas Escobar
Gisele Carvalho
Helena Ferreira
Rosa Maria Oliveira
Sara Maia

Educomunicação Agência Irenne

O conhecimento científico produzido pelo Observatório será a base para as ações de Educomunicação da Agência Irenne, voltadas para a literacia dos media e a educação para a igualdade de género, para o incentivo às boas práticas em jornalismo relacionadas com o tema das representações de género e para o estímulo ao jornalismo comunitário e cidadão, utilizando as ferramentas digitais e outros meios alternativos ao alcance de jovens, movimentos sociais organizados e outras formas de associação e participação social.

A Educomunicação caracteriza-se por um conjunto de práticas que procuram estabelecer processos de comunicação e educação fundamentados no empoderamento horizontal de todos os participantes. Essas iniciativas têm florescido principalmente nos países latino-americanos nas últimas décadas e têm como pressupostos teóricos as teorias críticas da comunicação e da educação. A ideia é atribuir a todos os participantes de uma atividade comunicativa e educativa um papel ativo na construção e partilha do conhecimento do grupo envolvido. Nessa perspetiva, o educador (comunicador) assume a tarefa de estimular essa partilha, ajudando o grupo a encontrar as melhores e mais adequadas estratégias aos seus objetivos e ao seu contexto.

Saiba em breve quais serão as nossas ações para 2015.